Sempre é tempo

deniselagrotta design de experiências, inquietudes

"Só sei que nada sei" - Sócrates

Mudanças não são fáceis. Muitas vezes é preferível continuar numa situação desconfortável porque ela é uma grande conhecida e, portanto, aparentemente  segura.

Parece que nascemos com um “chip” que nos condiciona a buscar o controle de tudo, tornando as situações de incerteza e mudanças quase sempre indesejadas.

Não nos damos conta — como diz o o palestrante e Doutor em Comunicação, Dado Schneider — de que MUDANÇA É O NOSSO MUNDO. E fechados com essas “certezas”, podemos passar a nossa vida sem tentar fazer algo diferente de nossas experiências habituais, sem ler um livro sobre um assunto desconhecido, sem viajar para destinos inusitados, e sem interagir com pessoas que são “diferentes” de nós.

Maria Popova diz que uma das grandes lições que extraiu em seus 07 anos à frente do site BrainPickings é a de se permitir ao luxo desconfortável de mudar sua mente. E que o nosso apego às questões que nos são conhecidas e a adesão cega a planos predeterminados nos impede de evoluir.

Segundo John Keats, a vontade de abraçar a incerteza, viver com o mistério, e fazer as pazes com a ambiguidade são essenciais para o processo criativo. Anaïs Nin acreditava que convidar o desconhecido nos ajuda a viver com mais abundância.

O físico Fritijof Capra nos alerta: “depois do prolongado mergulho na incerteza, na confusão e na dúvida, o surgimento súbito da novidade assume facilmente as aparências de um momento mágico.”

Tania Luna conseguiu abraçar a incerteza e mudar sua vida de forma mágica. Vinda da Ucrânia para os EUA quando criança, teve uma vida difícil em abrigos. Mas transformou essa  situação de forma surpreendente. Como uma das fundadoras da  Surprise Industries, ela utiliza a Ciência da Surpresa para ajudar as pessoas a prosperar na incerteza e espalhar alegria. Para ela “surpresas tornam a vida, simultaneamente, mais serena e emocionante“.

Mudar é difícil, mas não é impossível. 

Luah Galvão e Danilo Espanã mudaram radicalmente suas vidas quando decidiram viajar pelo mundo por 02 anos para coletar, através do projeto Walk and Talk, histórias a respeito do que motiva e inspira as pessoas. E descobriram que uma das maiores motivações humanas é a CURIOSIDADE. Retornando ao Brasil, eles concluíram:

“…Para nós andar e falar passou a ser mais do que um simples estudo sobre motivação, passou a ser uma nova maneira de viver e encarar a vida, uma maneira que encontramos de dividir aquilo que tem força para inspirar e mover esse maravilhoso mundo em que vivemos.”

Com todo esse mundo de infinitas possibilidades, vale a pena arriscar algo novo a cada dia. Nem que seja algo simples. Corre-se o risco de se descobrir algo incrível e surpreendente.

 

Eye of the Beholder from The Upthink Lab on Vimeo.