Futuro do trabalho

deniselagrotta concepção de projetos, inquietudes

"Se queres conhecer o passado, examina o presente que é o resultado; se queres conhecer o futuro, examina o presente que é causa" - Confúcio

A relação do homem com o trabalho vem se modificando no tempo para se ajustar às mudanças que ocorrem no nosso mundo.

Nas décadas de 60/70 as regras dos “baby boomers” eram claras: o trabalho era executado apenas dentro de um escritório e havia hora certa para começar e terminar.  As pessoas “vestiam a camisa” da instituição e respondiam bem às estruturas lineares e hierárquicas. Os mais velhos respeitavam os mais novos. O emprego era para toda a vida.

Nas décadas de 80/90 a “Geração X” tornou-se competitiva, estabelecendo a meritocracia e a necessidade de rápido sucesso. A experiência adquirida com o tempo de trabalho já não era tão importante, e sim os MBAs para ganhar a concorrência. O workaholic passou a ser admirado.

Atualmente, os chamados “millenials” são a nova força de trabalho. A maioria planeja ter um negócio próprio. A realização profissional é determinada pela motivação, paixão e significado do trabalho. Eles são impacientes e não querem se submeter a esquemas rígidos. Com sua mentalidade digital, líquida e coletiva, estão influenciando a forma de trabalharmos no futuro.

As tendências são cada vez mais fortes para o trabalho em estruturas com menos hierarquia. A Holocracia (tradução do termo em inglês Holocracy) — “tecnologia social” que extingue a tradicional estrutura piramidal do poder que vem de cima para baixo – já foi adotada pela empresa americana Zappos.

Podemos também nos preparar para trabalharmos nos próximos 10 a 20 anos com mais cocriação colaboração. A tecnologia transforma completamente a relação com o trabalho, e o foco é nas  competências e não em cargos. O empreendedorismo cresce substancialmente.

O cenário também está se desenhando para deixarmos os escritórios, os salários fixos e a aposentadoria. O trabalho do futuro é portátilO lugar de trabalho deixa de ser a sede da empresa  para ser qualquer ponto da cidade — a sala de casa, um café ou um local qualquer de trabalho coletivo.

As mudanças são rápidas, e já se imagina a criação de novas profissões que irão se adequar a essa nova realidade. A empresa de tendências Sparks & Honey fez uma lista de 20 carreiras que podem vir a fazer sucesso no futuro, entre as quais estão o tutor de curiosidade e o curador digital.

Mas o mais importante disso tudo é nos conscientizarmos que o novo modelo de trabalho nascerá da conexão com os talentos e vocações internos e da compreensão de como eles podem ser expressados.

O trabalho deixará definitivamente de ser sinônimo de sofrimento, padronização e tédio. É possível afirmar, seguindo a lógica de Domenico De Masi, que o futuro do trabalho é o “não-trabalho”.